Quarta-feira, 17 de Setembro de 2008
Anexo -São Vitor
São Vitor – 8 -- ANEXO Lugar do Escudo Nacional SERVIÇO DA REPUBLICA Distrito de Braga Concelho de Braga Paroquia de S. Victor Inventário dos bens imobiliários e mobiliários desta freguesia, declarados propriedade do Estado e dos corpos administrativos pelo artigo 62º da lei de 20 de Abril de 1911. AUTO DE ARROLAMENTO Em catorze de Agosto de mil novecentos e onze, nesta freguesia de S.Victor, lugar do mesmo nome, reuniu a comissão concelhia de inventário, composta pelo presidente administrador do concelho Tenente Norberto Guimarães, do vogal paroquial Henrique José Alves, presidente da respectiva comissão, vogal agregado nomeado pelo Governo, Dr. José de Paixão Pereira e de mim, Sebastião José do Lumiar Ramos, secretário. Procedemos ao arrolamento dos bens existentes nesta freguesia que tem sido destinados a ser aplicados ao culto público da religião católica e à sustentação dos seus ministros, empregados e serventuários dessa religião, com excepção dos que por documentos ou posse autêntica, pertencem, bem determinantemente, a pessoa particular ou a corporação com individualidade jurídica; e passamos a fazer a descrição desses bens pela forma seguinte: IGREJA PAROQUIAL DE SÃO VITOR BENS IMÓVEIS Nº 1 Um edifício Igreja Paroquial sita na rua de S. Vitor, que se compõe de torre com catorze sinos e interiormente de seis altares sendo o do centro o altar mor. É forrada a azulejos de valor, concluídos (?) a cores. A capela mor é toda de talha dourada e o arco principal da igreja também segundo declaração do pároco foi dourado há pouco tempo pela irmandade, digo, pela Junta de Paroquia. Nº 2 Um prédio urbano, próximo da igreja e designado a residência paroquial com quintal anexo. Nº 3 BENS MÓVEIS Alfaias : Quatro bolsas de corporal sendo duas preta e una roxa e preta e outra branca lisa. Nº 4 Dezanove cazulas sendo uma de damasco preto, outra roxa, três brancas de damasco com galão de seda, quatro vermelhas para uso, três pretas, três rochas, uma verde, uma de matiz e duas de damasco preto e branco. Nº5 Quatro capas, sendo uma vermelha e branca, outra vermelha, outra roxa e outra branca lisas. Nº 6 Duas dalmáticas de seda roxa, quatro estolas, sendo duas branca e roxa, outra de seda vermelha para a comunhão e outra de seda lavrada para os baptizados. Nº 7 Quatro frontais, sendo um vermelho e branco, outro roxo, outro vermelho e branco em muito bom estado de uso e outro de damasco verde. Nº 8 Três pavilhões, sendo um de damasco roxo sem saial, outro roxo pequeno tingido, do altar do Senhor das Necessidades e outro branco pequeno com ramos de cor. Nº 9 Sete paramentos, sendo um branco ordinário com uma cazula, duas dalmaticas, duas estolas e três manípulos, outro vermelho ordinário com duas peças, outro roxo ordinário com as mesmas peças, outro preto de veludo em mau estado com as mesmas peças, outro branco com as mesmas peças e outro de damasco roxo com galões de seda também com as mesmas peças. Nº 10 Um pálio de damasco branco com ramos a fingir seda de seis varas, uma umbela de seda branca nova, duas ditas de oleado, sendo uma em mau estado. Nº 11 Catorze véus de seda, dois de ombros vermelhos e brancos, outro de roxo ordinário, quatro de cálices de seda vermelha e três de cálice de seda branca, dois de seda verde, um de seda roxa e um de seda preta. Nº 12 VASOS SAGRADOS Quatro cálices de prata com o peso de 2,750 gramas; uma embola do mesmo metal, com o peso de 0,459 gramas e dois vasos de cobre sendo um no sacrário ( cibório ) e outro para sair aos enfermos. Nº 13 ORNAMENTOS Uma bolsa de cobrir a cruz, em mau estado, duas coberturas ou pavilhões dos vasos sagrados de seda e ouro; onze cortinados vermelhos e brancos nas frestas da igreja e dois panos de estante de missal, sendo uma branca e vermelho e outra preta. Nº 14 Uma imagem do padroeiro São Vitor, na tribuna, um painel com as imagens do Crucificado Nosso Senhor, S. João, Santa Maria Madalena e onze sanefas de madeira sendo sete a branco e dourado nas frestas igreja e quatro douradas na capela mor. Nº 15 ROUPAS Nove alvas de linho sendo seis em bom estado e três ordinárias; oito amitos de linho ordinários, doze corporais de linho ordinário; seis cordões de alvas; vinte uma opas sendo quinze de nobreza de seda vermelha novas, três de setinete vermelhas e três de cor roxa; treze palas quadradas de linho e mais três redondas, também de linho; duas sobrepelizes ordinárias; dez toalhas de linho sendo quatro para o altar mor; três para o lavatório da sacristia e três para a mesa da sagrada comunhão, e mais duas toalhas de credencia para a mesa. Nº 16 UTENSÍLIOS DE CULTO RELIGIOSO Uma banqueta de altar mor completa; duas cruzes para acompanhamentos do viático, sendo uma prateada e outra de metal ordinário; duas caldeiras de água benta sendo uma de metal branco e outra de estanho; uma campainha de metal; três pares de galhetas de vidro; duas grades sendo uma de pavilhão de altar mor e outra de pequeno; um lampião grande; dezoito lanternas das quais seis são de folha gravada para acompanhamento, seis ordinárias para os dias de chuva e seis que servem em S. Vicente; dois missais ordinários; uma naveta de cobre prateado; uma pedra de ara no altar mor; um ritual romano; um turíbulo de cobre; quatro tocheiros de madeira e três sinos de bronze existentes na torre da igreja já incluídos na descrição do templo. Nº 17 MOBILÁRIO Dois armários de castanho sendo um para o arquivo da Junta com duas gavetas e o outro com soco, pilastras, cornija e oito gavetões; uma andarela de ferro, de parede para a lâmpada, seis bancos grandes de castanho e suas bancadas também da castanho que servem no arco cruzeiro da igreja; um caixão de castanho para guardar cera e ma caixa para lançar requerimentos e outra correspondência. Nº 18 Um cantoneira de castanho para guardar os objectos da Junta; cinco confessionários, sendo dois grandes de castanho e três pequenos portáteis, duas mesas de castanho no coro para a música e um tabuleiro também de castanho para conduzir os paramentos. Nº 19 Um missal romano Tomnay (?) da edição do ano corrente; dois cabides de madeira para a sacristia do lado sul da igreja e dois panos vermelhos para cobrir o altar mor. . . . / . . .


publicado por Varziano às 12:44
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Maio 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

27
28
29
30
31


posts recentes

consequencias da 2ª g.Gue...

Bom Jesus 1

Bom Jesus 2

Bom Jesus 3

Bom Jesus 4

Bom Jesus 5

Bom Jesus 6

Bom Jesus 7

Bom Jesus 8

Bom Jesus 9

arquivos

Maio 2013

Dezembro 2009

Julho 2009

Junho 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds