Quarta-feira, 11 de Março de 2009
p arcebispo dom josé
LUIS COSTA O ARCEBISPO DOM JOSÉ DE BRAGANÇA A ENTRADA TRIUNFAL DE DOM JOSÉ EM BRAGA O PERÍODO DE LONGA VACANCIA DA SÉ DE BRAGA AS CONTENDAS ENTRE O ARCEBISPO E O CABIDO O TERRAMOTO DE 1755 A QUESTÃO DAS MAÇAS E OS CEPTROS A PRISÃO DE DEZASSETE CÓNEGOS A CONSTRUÇÃO DA CÂMARA E DO PAÇO UBATI : Universidade Bracarense do Autodidacta e da Terceira Idade 2009 O ARCEBISPO DOM JOSÉ DE BRAGANÇA Depois do morte do Arcebispo Dom Rodrigo de Moura Telles, abriu-se, por treze anos, um período de Sé Vacante, devido a uma desavença provocada por dois incidentes do falecido antístete com a Corte de Roma que determinaram a suspensão do provimento das dioceses vagas do país, diz Monsenhor Ferreira, nos FASTOS. O primeiro incidente derivou da recusa do Papa em conceder o Barreto Cardinalício a Monsenhor Vicente Bichi, Núncio Apostólico em Lisboa, contrariamente contra o pedido formal de Dom João V, que pretendia que nenhum Núncio saísse de Portugal, como era habitual nas Cortes de Viena, Paris e Madrid, sem primeiro ser elevado à dignidade de Cardeal. Depois de várias diligenciais diplomáticas que não demoveram a Santa Sé dos seus princípios, publicou Dom João V, em 5 de Julho de 1728, três decretos, “declarando um rompimento absoluto entre Portugal e a Corte de Roma, como complemento do Aviso de 21 de Março desse mesmo ano, pelo qual havia mandado sair de Lisboa, o novo núncio apostólico Monsenhor José Firráo, Arcebispo de Niceia. No entanto no Pontificado de Clemente XII, as duas cortes chegaram a acordo, tendo sido nomeado Cardeal Presbítero de S. Pedro in Montorio, em 24 de Setembro de 1831, o ex-núncio Mons. Bichi, o que deu origem a que, os dois estados desavindos viessem de novo a estabelecer relações, confirmadas por Decreto de 19 de Outubro o mesmo ano. Mas logo após este acordo surgiu um novo incidente, bastante mais grave que os anteriores. Referia-se ele à apresentação dos bispos, que os nossos diplomatas em Roma, principalmente o embaixador Alexandre de Gusmão, entenderam ser ocasião oportuna para se declararem do Padroado Real todos os Bispados, fazendo deles o provimento “ad praesentatine, e não ad supplitionwm”. Entabuladas novas negociações, bastante demoradas pois o caso era bastante intrincado, conveio finalmente a corte de Roma em que todos os Bispos portugueses fossem confirmados ad praesentatonem, e nas Bulas se declarasse serem as Catedrais do Padroado Régio e, assim por bula pontifícia foi finalmente provido na Igreja Bracarense, Dom José de Bragança, com seu Arcebispo e Primaz das Espanhas. No entanto Dom Rodrigo prevendo complicações que poderiam advir com a sua morte, e no intuito de manter os ministros da Relação por ele nomeados e para que continuasse na Sé Vacante a ser escrupulosamente a administração da justiça, impetrou e conseguiu de Clemente XI, um breve para que não pudessem ser removidos elo Cabido Sede Vacante, os Ministros da Relação por ele providos o que foi, mais tarde, confirmado pelo papa Bento XIII. Confirmados estes factos passou Dom Rodrigo a nomear as pessoas de sua confiança, incluindo seus familiares como o seu sobrinho D. Aleixo de Menezes, como Alcaide-mor de Ervedelo e a fim de perpetuar talvez o lugar na família conseguiu por um breve pontifício ser nomeado coadjutor e futuro sucessor seu filho Lourenço António da Silva e Sousa Menezes. Após a morte de Dom Rodrigo, ocorrida em 1728 e a do Conde de São Tiago, em Novembro de l744, logo após decorrido apenas um mês depois do falecimento do Conde, Dom José, fazendo tábua rasa, das resoluções anteriores proveu como Alcaide-mor de Ervedelo o seu Mordomo João Lobo da Gama. Pretextava o Arcebispo que, tratando-se da jurisdição temporal, não podia ter lugar a citada coadjutoria . Por sua vez o Cabido, com outro pretexto, não de importou com o Breve de Bento XIII, e nomeou Provisor da Sede Vacante, o Cónego Manuel Pereira de Araújo e Reitor do Seminário o Dr. Constantino da Cunha de Sotto Mayor, Tesoureiro-mor da Sé. Diz Monsenhor Ferreira, nos já referidos Fastos “Estas nomeações foram muito discutidas e as mais consequências tiveram o Edital emanado pelo Cabido, suspendendo todos os párocos encomendados e postos pelo defunto Arcebispo. Este acto insólito do Cabido para muitos importava uma violência e ilegalidade pois entendiam que, tendo sido a jurisdição paroquial conferida por, um ano antes dela findar não podia ser tirada sem culpa formada, sem um motivo justificado, ou sem que se colassem os párocos legitimamente providos. O mesmo autor acima citado diz “que no ano de 1729 o Cabido continuou nos seus desatinos … parece que havia o propósito danado de destruir toda a obra, do Arcebispo (Dom Rodrigo)” Nem sequer o seminaristas escapam à sanha do Cabido, Mitos colegiais admitidos por ele, Arcebispo, foram expulsos pelo Cabido. Estava criada a desavença entre o Cabido e a Igreja bracarense. Do João V, informado de tudo e sabendo que só ele poderia por cobro a tantas irregularidades, praticadas pelo Cabido, insinuando a nomeação de um Vigário Capitular nos termos ordenados pelo Concilio Tridentino resolveu o caso de outra forma e por um Decreto de 1737, que mandou que fossem desterrados para mais de 40 léguas de distância os cónegos nomeados. Durante a longa vacância mandou o Cabido em 1737/38, fazer duas obras notáveis; os Cadeirais do Coro Alto de pau preto e talha dourada, no estilo mais ostentoso que se conhece no país e os dois Órgãos monumentais apoiados em figuras satíricas e golfinhos (obra de Marceliano de Araújo), diz Ferreira, num estilo barroco, foram obras que se ficaram a dever esse período de SéVacante. A pesar de todos estes contratempos, D José de Bragança de Bragança, acabou por tomar posse do Arcebispado. …/…


publicado por Varziano às 16:40
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Maio 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

27
28
29
30
31


posts recentes

consequencias da 2ª g.Gue...

Bom Jesus 1

Bom Jesus 2

Bom Jesus 3

Bom Jesus 4

Bom Jesus 5

Bom Jesus 6

Bom Jesus 7

Bom Jesus 8

Bom Jesus 9

arquivos

Maio 2013

Dezembro 2009

Julho 2009

Junho 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds